• Você Conhece o Pilates Postural? E por que existem tantos tipos de Pilates?

    Você Conhece o Pilates Postural? E por que existem tantos tipos de Pilates?

    tipos de pilates e posturas

    Sabemos que nós todos tendemos a adotar posturas viciosas por conta dos smartfones e tablets, fugir de posições que gerem dor, ficarmos na mesma posição por longos períodos, ou ainda por manias adquiridas na hora de sentar, andar e até dormir.

    Quando conciliamos todas essas posturas, enfraquecemos músculos posturais profundos, importantes na manutenção da estabilidade da coluna, e consequentemente, desencadeamos uma onda de desequilíbrios musculares que fazem com que essa nova Postura se instale de maneira definitiva no nosso corpo, contribuindo para que muitas delas se transformem em patologias reais.

    O problema de ter uma alteração postural não é somente estético, mas ao sairmos da “linha prumo”, linha imaginária que passa em pontos específicos do corpo para determinarmos seu alinhamento ideal, é muito provável que o resultado seja uma ou mais patologias.

    Agora estamos falando de uma patologia limitante, que causa muita dor e que instalada, vai gerar mais alterações posturais; primeiro para tentar fugir dessa dor, depois para redistribuir peso e adequar o centro de gravidade, todas essas novas posições adquiridas irão sobrecarregar músculos que não estavam condicionados para essa atual função e assim, mais desequilíbrios musculares e articulares se incorporam e entramos num ciclo vicioso.

    É aí que o Pilates Postural entra em cena, através de uma ficha de anamnese com o histórico do aluno, acompanhamento de exames específicos e uma Avaliação Física detalhada, teremos informações imprescindíveis para que sejam criadas aulas Personalizadas e Específicas para cada aluno.

    Simplesmente trabalharmos todos os grupos musculares não é o suficiente para equalizarmos a Má Postura, precisamos saber quais grupos musculares estão envolvidos em cada alteração, quais estão enfraquecidos e quais estão hiperativos ou encurtados, e aí sim, escolhermos os exercícios que promovam esse equilíbrio, fazendo com que cada segmento volte ao seu lugar original se adequando à “Linha prumo”.

    Esse conhecimento é muito importante, pois alguns ajustes devem ser feitos na realização de alguns movimentos, como alinhamento, amplitude e posicionamento, para que seja utilizado o melhor de cada exercício, lembrando sempre de manter os Princípios e os Fundamentos, garantindo que o aluno esteja praticando Pilates e não um exercício físico que utiliza os aparelhos ou acessórios de Pilates, que com certeza surtirão melhora no condicionamento físico, mas muitas vezes não corrigirão a postura nem minimizarão as dores adquiridas.

    Cada exercício proposto terá um objetivo real em ativar os músculos responsáveis pela correção de cada alteração postural encontrada; assim, será promovido um equilíbrio muscular inteligente, trazendo a melhora da Postura Geral de maneira mais rápida e eficiente, contribuindo para a mudança da “Consciência Corporal”, não só através dos exercícios utilizados em aula, mas no dia a dia também, afinal estamos avaliando o aluno em todas as aulas: como ele está andando, como tira os sapatos e colocas as meias, como se senta e levanta, como entra e sai dos aparelhos, como fica parado e distribui seu peso. Dessa forma, podemos orientá-lo de como “cortar” essas atitudes viciosas e somar essas novas informações à sua nova ”Consciência Corporal”, contribuindo para a eficiência e manutenção dos alinhamentos conquistados.

    Assim que nossa autoimagem se modifica e nos vemos e sentimos mais eretos e alinhados, substituímos a imagem antiga por essa e nos sentimos recompensados.
    Vale lembrar que apesar de ensinarmos e lembrarmos nossos alunos quanto aos princípios e fundamentos, os Princípios são de responsabilidade total do aluno, mas os Fundamentos Biomecânicos são nossa responsabilidade até que o aluno consiga ativá-los e mantê-los, primeiro porque ele não tem consciência se está alinhado ou não, segundo que não consegue manter por fraqueza muscular, mas sempre que o lembramos, logo se corrige e esse estímulo auditivo também se incorpora à Consciência como mais uma peça dos quebra-cabeças.

    Antes mesmo de iniciar os exercícios, temos que ajustar o posicionamento do aluno, promovermos ajustes para sua melhor realização e garantirmos que os fundamentos estejam corretos durante a execução, se estão sendo mantidos e quando devemos lembra-lo ou até intervirmos manualmente quando o comando verbal não estiver sendo suficiente para alinhá-lo, evitando que músculos errados sejam trabalhados e principalmente evitando dores e até lesões.

    Deste modo, o Pilates Postural se adequa aos mais variados públicos, trazendo benefícios reais, tratando de maneira preventiva e corretiva, permitindo um corpo equilibrado, com condições de evoluir de maneira segura e eficiente.
    Existem vários tipos de Pilates, assim como vários tipos de yoga, vários estilos de ballet e todos são ótimos e possuem foco e métodos diferentes por escolha e afinidade. Busque nestas diferenças, o tipo de Pilates que mais lhe atraia e qual atende melhor suas necessidades.

    Vanessa Moraes e Silene Contreras – Império Pilates – Setembro 2017

2Comentários
  • postado porCristina dos Santos Silvaem 12 de dezembro de 2017 at 13:56

    Gostaria de uma informação geral sobre o curso de pilates e valores, como são muitas modalidades, gostaria de saber se um mais adequado ….eu sou estudante de Fisioterapia 6 ºsemestre

    Resposta
  • postado porCristina dos Santos Silvaem 12 de dezembro de 2017 at 13:56

    Gostaria de uma informação geral sobre o curso de pilates e valores, como são muitas modalidades, gostaria de saber se um mais adequado ….eu sou estudante de Fisioterapia 6 ºsemestre

    Resposta

deixe uma resposta

Cancelar resposta